domingo, 20 de maio de 2012

a grama

Sinto a temperatura da grama que afago com meus dedos. A grama do parque, se recuperando das queimaduras do sol; mas o outono chegou. A grama está fria e úmida. Todo domingo todos os dedos a tocam em busca de apenas alguma resposta ou apenas de paz.

Eu quero os dois. Mas se tiver que escolher, prefiro a paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário