segunda-feira, 13 de agosto de 2012

é verão quando não


Sobre a mesa o jornal e o suco de laranja.
Aquela janela as frestas de sol.
O vermelho distorcido em mil.
Só é verão quando a gente sabe que não.
O canudo branco com listras coloridas.
Sua camiseta de listras.
O amarelo.
O amarelo é bonito quando a gente sabe que não.
O cachorro embaixo da mesa.
Porque sabe que é verão.
Cachorro sabe quando.
O México ilustrado na parede.
Em pintura.
Em fotografia.
Imagem quase viva.
A luz bate e rebate.
Fogo no centro do céu.
Você liga o rádio.
Deixa a pia cheia de louças.
E percebe, quase que atrasado, mas não mais que eu.
Que é hora de sair.

Nenhum comentário:

Postar um comentário