quinta-feira, 23 de agosto de 2012

o verão de 1994 foi prematuro mas acho que ernesto demorou até senti-lo e confessar

Palmeiras verdinhas e garrafas de vidro de guaraná. Móveis alaranjados e Jorge Ben na década de 70. É esse o instante que eu quero pra mim. Pés no mar. Ideias soltas no mar. E um vento que pedem para os meus olhos se fecharem. Tudo é leve e eu não vou voltar. Não tenho nada lá atrás. Eu só tenho o ar.
Só quero o mar.
É esse o gigante que habita em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário