quinta-feira, 27 de junho de 2013

redoma parte três

Absorto em pensamentos. Aquele dia foi impossível te alcançar. Seu café quase gelado. Eu olhava para você. Você parecia olhar para mim mas não estava. Você se afogou aquele dia e não poderia ter sido de outra maneira.

redoma parte dois

Você estava imersa naquele cobertor.
Naquele seu livro.
Não quis te atrapalhar.
Ascendi o abajour.
Você não disse nada. Acho que nem percebeu a presença da luz.
Te preparei um chá. De frutas vermelhas. Esfriou.
E você nem se deu conta do vapor da xícara que eu deixei em cima do criado mudo, ao seu redor. Continuou lendo, com a lente dos óculos embaçada.
Se eu pudesse ao menos dividir a cama com você.
Eu ficaria em silêncio.
Prometeria meu silêncio.
Viraria vapor.
Se você ao menos pudesse ler esse romance para mim também.

redoma

Você não queria conversar.
Você enxugava as lágrimas com a manga do suéter.
Te ofereci um lenço, mas até esse gesto parecia ser um ato insensível.
Não te toquei.
Acho que nunca mais vou.
Você é tão frágil.
Criamos uma redoma e agora ela se espatifou.
Devo sumir em poucos dias. Da sua vida.
Em poucos dias.
Queria cuidar de você.
E essa é a maneira que encontrei.