quarta-feira, 30 de outubro de 2013

amores de metrô - volume dois

Dos amores de metrô que se sentam ao meu lado ou estacionam seu corpo em frente ao meu alterando a iluminação da minha leitura que se interrompe por mais que eu mantenha meus olhos fixados na página. Desses amores que duram uma eterna viagem de duas ou três estações e que quando desembarcam, desembarcam no sentido oposto ao meu, dos amores que se tornam amores pelo simples raro fato de lerem um livro e de se entregarem somente a este, abstraindo tudo o que os cercam, mas que, assim como eu, encontram por uma fração de segundo um segundo leitor e por este se distrai por mais que mantenha os olhos fixados na página. E o tempo passa, e as páginas não lidas se viram e viram e viram enquanto os olhos, esses não viram nunca. Dos amores de metrô eu desejo apenas saber o título de seus livros.