domingo, 22 de dezembro de 2013

sono lenta

Sobre o mesmo travesseiro repousam nossas cabeças. Seus cabelos compridos se misturam com os meus e sua respiração inquieta não deixa a minha lenta, sonolenta. Seus olhos estão abertos, fixados no teto sem estrelas. Você está de barriga para cima e o seu livro continua em cima dela enquanto seus dedos se distraem em cima dele. Meu corpo está voltado para o seu, amortecido, e eu quero fechar os olhos. Então você se vira e me diz algo e sua boca fica tão perto da minha que eu nem presto atenção no que ela diz. Eu só concordo com um resmungo e você afaga os meus cabelos. O toca-discos gira a faixa “Days of Wine and Roses”, de Dexter Gordon. Lembro do título por lembrar. E por gostar muito dessa música. Eu até penso em comentar. Mas acabo por cochilar e logo acordar com o beijo que você dá perto do meu ouvido antes de se levantar e eu tenho tanto sono e você onde está está tão linda que eu não te peço pra ficar ou pra apagar a luz do abajur. E meus olhos vão sonhando novamente até você virar um borrão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário