domingo, 26 de outubro de 2014

porque parece que é isso que se faz quando se tem o coração partido

Nos despedimos de estranhos com abraços e promessas de reencontro e entramos no seu carro. Abraços em corpos amortecidos que não conseguem mais segurar um copo na mão ou conter os músculos do rosto pra evitar um sorriso. Era uma noite quente de sábado e de festa... e entramos no seu carro e você acendeu um cigarro, ligou o som e disse escuta essa música aqui e me diz o que acha.
Eu disse que aquela música era simplesmente o que qualquer pessoa quer ouvir de alguém nessa vida.
Um afago. Tranquilidade e amor.
Aquela música era o máximo porque me pareceu ser a única do universo que conseguia falar de tranquilidade e amor simultaneamente sem parecer uma mentira, mesmo que uma mentira ingênua, como o abraço que demos nos nossos amigos de uma noite só.
Você deu a partida e eu peguei um cigarro também, porque parece que é isso que se faz quando se tem o coração partido. E falei da sorte que você tem em ganhar essa música desse seu amor que parece ser o amor da sua vida.
E no caminho te falei da dor que é perder o amor que se acha que é aquele que um dia vai gravar uma fita pra você com uma música dessas.
E no caminho eu chorei porque toda vez que eu digo o nome dela um dos pontos que eu mesma costurei estoura e o sangue...
Acho que amei só mais um estranho.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

lua aqui dentro

Sei que já se passaram algumas noites, mas eu ainda não estou
Ainda arde.
Mas já que você viu essa foto.
É que tudo coincide de uma maneira, assim... . Acho que isso... Esse é o último fotograma daquele rolo de filme que eu usei naquela noite que foi a última em que estive com ela.
O filme queimou quase inteiro, inclusive os retratos que tirei, tava tão linda...
Essa saiu. Essa luz do bar que mais parece uma lua cheia e que estava sobre nossas cabeças.
Lua aqui dentro. Dei um nome pra ela.
A gente nunca sabe quando é a última vez... Nem sei se deveríamos, acho que ficaríamos tão preocupados em aproveitar cada instante que.
Sei lá.
Você já leu O Cordeiro da Casa?
Era uma noite quente de sábado e eu estava sem dormir direito desde quinta-feira.
Passei o dia pensando
na noite
porque à noite
a gente ia se ver.
E quando a vi ela me acalmou e soprou no meu rosto palavras de alívio e finalmente consegui descansar. Voltei pra casa e dormi e sonhei com a leveza daquele sorriso.
Aquilo me parecia tão leve que eu deixei voar.
Será
que se eu tivesse ido embora com ela naquela noite ficaríamos juntas pra sempre?
Acho que seria lua cheia todo dia
Mesmo que só
lua aqui dentro.