domingo, 10 de julho de 2016

algo simples para jantar

você penteia os cabelos curtos e negros e molhados pra trás.
você não é velho e nem é novo.
você toma chá com leite e lê alguns livros dos quais eu nunca ouvi falar.
você usa tênis. sempre um tênis sujo.
porem você parece sempre ter acabado de sair do banho.
você gosta de andar.
e me liga, de seu telefone com fio. aquele que era do seu avô.
me liga da sua casa dizendo que acabou de sair do banho e que vai preparar algo simples para jantar.
me chama e eu vou.
não aprendi a recusar.
eu vou.
e depois tomo vinho com você na sala de estar.
penso que tenho poucos amigos porque eu não sou lá muito de falar.
eu sou sua amiga porque você não se importa e até gosta que eu carregue esse meu caderno pra lá e pra cá.

caligrafia

durante a cerimônia de ano novo fechou os olhos ali, no terraço onde se viam os fogos de artifício e bebiam champanhe
e fez um pedido:

que neste ano eu consiga escrever com a letra mais bonita

e abriu os olhos novamente.